Não é novidade alguma que, a partir do próximo ano, a Apple deixará de usar telas LCD em seus smartphones e adotará telas OLED, consideradas muito mais avançadas. Os motivos são vários, a começar pela melhor qualidade e fidelidade de cores, nitidez e melhor contraste da tecnologia mais recente – isso sem falar na flexibilidade e economia de bateria proporcionada.

As novas telas seriam aplicadas nos sucessores do iPhone 7 e iPhone 7 Plus, que devem chegar em 2018, segundo especulações. Porém, de acordo com o analista da KGI Securities de nome Ming-Chi Kuo, a Apple deve lançar três novos modelos já em 2017, incluindo um aparelho feito para comemorar o décimo aniversário dos telefones inteligentes da marca.

Apesar de serem constantes as brigas da Apple e da Samsung nos tribunais motivados por alegações de quebra de patente, a sul-coreana continua sendo a maior fabricante de telas OLED do mundo. A Maçã, inclusive, já teria encomendado muuuitas telas da rival. Uma reportagem realizada pelo site Apple Insider mostra uma ordem de pedido em displays OLED no valor de US$ 4 bilhões. O documento foi encontrado em uma investigação feita pela empresa J.P. Morgan de serviços financeiros.

Conhecida pela produção de dispositivos móveis, sobretudo iPhones, iPods e iPads, a Apple tem demonstrado cada vez mais interesse na produção de automóveis.

Além de rumores de um possível carro elétrico que estaria sendo desenvolvido em um laboratório secreto na Alemanha, a Maçã também pode estar desenvolvendo, também de forma sigilosa, um veículo autônomo. Isso porque a gigante tecnológica mandou uma carta as autoridades dos Estados Unidos alegando ter interesse em desenvolver “aprendizado de máquina (machine learning) e automação”. Inclusive, m documento deixou evidente que os engenheiros da firma norte-americana criaram um sistema básico para evitar colisões. Além disso, a Apple criou um sistema que faz com que os postos de recarga de veículos elétricos, cada vez mais populares nos países desenvolvidos, apareçam com mais facilidade nos iPhones de seus clientes.

 

Fonte: phonearena