Quando o assunto OLED vem à tona, umas das primeiras companhias a ser lembrada, sem dúvida, é a Samsung, visto que só neste ano, a empresa praticamente monopolizou o mercado de telas com a tecnologia.

Mas este reinado possivelmente está ameaçado, ao menos é o que indicam as últimas publicações desta semana. Novos vazamentos apontam que as gigantes Apple e Google, estão em parceria com a também sul-coreana LG, para produção de telas OLED flexíveis para futuros dispositivos dobráveis.

Apesar do nome da Apple ainda ser uma surpresa neste nicho, a comunidade de rumores ao longo dos últimos meses trouxe o nome do próximo iPhone em peso, indicando veemente que o futuro flagship de Cupertino será munido da tecnologia OLED, embora a Apple sequer tenha confirmado a veracidade destas informações.

Contudo, as notas recentes revelam que ambas a companhias norte-americanas estão interessadas nas telas para futuros lançamentos. Ao que tudo indica, o Google quer investir na tecnologia para a próxima geração de smartphones, que sucederá a família Pixel que chegou em outubro deste ano.

Outro nome que também aparece neste conceito é a Microsoft, que pode implementar o padrão OLED na linha Surface em variantes que estão por vir.

Vale ressaltar que nenhuma companhia elegeu a Samsung, e a predileção pela LG foi unânime, isso claro, com base nos rumores. Algo que também merece destaque, é que a Samsung era o primeiro nome apontado para telas OLED no iPhone 8, mas como os vazamentos alegaram que a empresa oriental não conseguiria produzir telas OLED suficientes para a próxima geração da Maçã, a nova medida adotada pela Apple, mudando de fabricante, pode ter fundamento.

De qualquer forma, estas informações ainda são bem vagas, pois nenhuma empresa confirmou oficialmente estas notas, e seguem em total silêncio quanto aos dispositivos que chegam no próximo ano. Mas os rumores ainda apontam que a LG começará a produção em massa das telas para o Google, Apple e Microsoft em 2018. Se estes conceitos estiverem corretos, a Samsung vai precisar correr contra o tempo e intensificar o trabalho para continuar consolidando seu nome no mercado de OLED.

 

Fonte: etnews