“Chamado de DinDin, aplicativo já está disponível para aparelhos iOS e Android e cobra taxa de 3,9% para transferências pelo cartão de crédito.”

Um novo aplicativo brasileiro promete facilitar a vida dos usuários na hora de transferir dinheiro entre os amigos, familiares e demais contatos. Com o simpático nome DinDin, o app traz como diferencial a possibilidade de criar grupos fixos para facilitar na hora de fazer os pagamentos, seja para pagar o aluguel do campo do futebol semanal, do pôquer de todo domingo ou ainda de uma viagem ou festa de final de ano.

Já disponível para aparelhos iOS e Android, o DinDin cobra uma taxa de 3,9% para as transferências feitas via cartão de crédito – segundo a empresa, os bancos brasileiros ainda não estão preparados para receber a função de transferência via débito pelo app.

A boa notícia é que não há taxa para transferir o dinheiro que você tiver acumulado no próprio aplicativo a partir de pagamentos recebidos. Com isso, o DinDin quer estimular um uso cada vez maior do serviço, além de fazer com que os usuários sempre mantenham algum dinheiro no aplicativo para evitar a taxa de 3,9% citada acima. “A gente quer mesmo que as pessoas usem o aplicativo”, afirma a CEO e cofundador da fintech, Stéphanie Fleury Rassi.

Também não há nenhuma taxa para fazer a transferência do dinheiro recebido pelo DinDin para a sua conta no banco. De acordo com a empresa, o processo pode levar até dois dias úteis, mas a meta é conseguir baixar esse prazo para um dia útil no futuro.

appdindin.jpg

Inicialmente, os usuários possuem um limite de 500 reais por transação, sendo que podem enviar até 2 mil reais por mês em pagamentos pelo aplicativo. Mas, de acordo com a empresa, é possível aumentar esses valores. Para isso, é preciso entrar em contato com o app, que irá então analisar cada caso.

Vale notar que as transferência ocorrem de forma instantânea e precisam ser autenticadas pelo usuário com uma senha ou por meio de reconhecimento da impressão digital, caso o smartphone possua suporte para isso.

Rede social de pagamentos

De olho nos millennials, que o DinDin vê como um público alvo com potencial alto, o aplicativo também funciona como uma rede social de pagamentos, possuindo até mesmo um “feed de pagamento”, que mostra as transações públicas dos usuários.

Mas para quem, assim como eu, prefere não ficar mostrando essas informações por aí, é preciso definir as suas transações como privadas ou ainda escolher compartilhar apenas com os seus amigos no app.

 

Fonte: Web