Graças às vendas de smartphones na Índia,mercado por si dominado,bem como em vários outros países fora da China,a Xiaomi continua a crescer.Os mercados internacionais foram responsáveis por 38% das receitas durante o primeiro trimestre de 2019 e os seus smartphones Android continuam em alta.

De acordo com os dados oficiais,a Xiaomi registou um crescimento de 35% nas receitas no 1.º trimestre.

Inegavelmente impressionante,o crescimento da Xiaomi vem contrapor a desaceleração do mercado mobile.De acordo com o relatório oficial,os mercados internacionais garantiram o crescimento da empresa e dos seus smartphones Android. Entretanto, a sua maior rival, Huawei,enfrenta cada vez mais bloqueios.

Os smartphones Android são a principal fonte de receita da Xiaomi

Os smartphones Android continuam a ser a maior fonte de receitas para a empresa. Ainda que este segmento de mercado tenha contraído de ano para ano. Com efeito, no 1.º trimestre de 2018 os smartphones representaram 67,5% dos lucros gerados. No entanto, este trimestre a sua percentagem foi de 61,7%.

Já de acordo com a agência Canalys,a Xiaomi é a 4.ª maior fabricante mundial de smartphones,ao passo que a Huawei ocupa a 2.ª posição.De igual modo,esta agência aponta uma preferência masculina pelos smartphones da empresa,ainda que a empresa tenha adquirido a Meitu com o intuito de conquistar um novo público.

Ainda de acordo com o seu relatório oficial, o segmento de IoT e lifestyle, registou um forte crescimento. Os dados oficiais apontam um crescimento nas receitas de 22,4% para 27,5% de ano para ano. Relembramos que este é o segmento responsável pelos gadgets da empresa, desde purificadores de ar a malas de viagem.

A concorrência com a Huawei

Ciente das dimensões da principal concorrente chinesa, a Xiaomi aposta em diversos setores, não só nos smartphones Android. Temos visto, portanto, um reforço do segmento das Smart TVs, que acabaram por ser um dos maiores motores de crescimento. Para a tecnológica chinesa esta é uma aposta de sucesso.

Aliás, temos já uma parceira estabelecida com a TCL com vista à implementação das televisões Xiaomi no mercado. Além disso, a empresa tem apostado nos serviços de internet e software para se diferenciar da Huawei e outras concorrentes chinesas.

Já em março de 2019, a Xiaomi registou 261 milhões de utilizadores mensais ativos nos seus smartphones Android com a MIUI. Na prática, vimos um aumento de 37,3% no número de dispositivos móveis em utilização.

Já os dispositivos IoT, sem contar com os smartphones e computadores, aumentaram 70% de ano para ano, sendo já mais de 171 milhões de equipamentos desta empresa chinesa em circulação.